Cadastre-se para receber meu e-book!

Categoria, RECONHECENDO

VOCÊ SE DÁ PERMISSÃO PARA SER HUMANO?

10 de março de 2016
Viverde 1

Quando digo ser humano estou me referindo àquele comportamento que normalmente não aprendemos a ter que é se permitir sentir dor, chorar, ser vulnerável, ficar cansado, descansar…E por aí vai!

Por muitos anos eu aprendi que o certo era ser o que eu nunca fui. E entendi que para ser aceita em todos os meus meios eu precisava encontrar uma forma de atuar tentando agradar o gosto daqueles que eu me relacionava. Na adolescência eu era super rebelde e reativa, mas algumas pessoas referiam a mim como uma menina tranquila…rs. Como diria a minha mãe na época: “Vai comer uma colherzinha de sal com ela prá você ver!”…Realmente eu não era fácil. Mas eu precisei entender que aquela agressividade  era um escudo de proteção porque eu mesma não sabia lidar comigo e nem com ninguém.

Quando saí do 3º ano, todos já me perguntavam qual vestibular eu iria fazer. Peraí, ninguém me perguntou se eu queria ou se eu estava preparada! Mas mais do que pronta, tirava do bolso um sorriso e uma autoconfiança enorme e respondia imediatamente: “Vou fazer Turismo, afinal eu amo viajar! E além disso, na USP foi o curso mais concorrido neste ano!” Mal sabia que quem estuda Turismo trabalha enquanto as outras pessoas viajam…rs.

A gente precisa o tempo todo ter respostas certas, prontas e firmes. Porque o mundo demanda isso. Mas, tenho percebido que o mundo tem precisado ainda mais de verdade, de essência, de conexões, de interior. Mas, eu entendo, a gente não aprendeu que sentir angústia é normal, sentir raiva também, sentir medo, insegurança, frustração…somos HUMANOS! Sentimos e ainda bem que sentimos!

Mas a grande questão é lidar com toda a pressão do mundo prá que a gente não sofra, porque como as pessoas também estão desconectadas de si mesmas, elas não sabem lidar com a dor alheia, então começa a existir um processo de falta de identificação entre as duas partes!

Mas, desde quando comecei a praticar a Psicologia Positiva na minha vida há alguns anos intuitivamente, eu comecei a entender que chorar não significava ser fraca, e mesmo me permitindo ser fraca, não significava que eu não tivesse valor. Eu aprendi que a melhor forma da gente resolver as nossas questões internas é permitindo senti-las, porque esse o caminho da saída.

Nós temos um ducto de energia dentro da gente que é o mesmo para todas as emoções. Se, por ventura eu sinto uma dor emocional qualquer e tento bloqueá-la, assim como a gente fala com as crianças para “engolir o choro”, nós bloqueamos este caminho. Bloqueando este ducto estamos automaticamente bloqueando a entrada de sentimentos e emoções positivas, porque elas passam pelo mesmo caminho. Quantas pessoas que vocês conhecem já passaram por situações negativas e a partir disso começaram a se fechar, ficando amarguradas, perdendo o humor, o brilho??? Porque o mecanismo é este!

Portanto, o desafio aqui, a partir de agora é: SE PERMITIR SER HUMANO!

Mas como?

Quando sentir tristeza, chore! Quando sentir raiva, grite (claro, num lugar adequado) rs! Quando sentir vontade de chorar, se permita chorar e chore com vontade! Quando tiver cansado, se permita assumir a falta de energia e mais, esteja em paz ao relaxar. Quando sentir alegria, sorria. Quando sentir orgulho ou gratidão por alguém, expresse estes sentimento!

Nós precisamos desse olhar prá dentro, dessa forma de se acolher…senão passamos a não ver graça mais nas coisas, e a vida começa a ficar pesada, porque de fato você está gastando uma energia danada para suprimir todas essas emoções e segurá-las aí dentro.

Portanto, faça-lhe um favor  de se dar de presente essa permissão para que você, de uma vez por todas SEJA HUMANO!

 “Aprendi que falar pode aliviar minhas dores emocionais.”

William Shakespeare

Crédito (foto): Roberto Benatti

Se você gostou do meu post e deseja recebê-los diretamente no seu email, se inscreva aqui no meu site!

Você também pode gostar de

2 Comentários

  • Reply Marilene 11 de março de 2016 at 12:28 am

    Obrigada por nos lembrar da importância de assumirmos nossas fragilidades, que fazem parte do todo que somos. Se não, não seremos um todo, e viveremos incompletos.

    • Reply repage 11 de março de 2016 at 12:59 am

      É verdade querida amiga! Acho que tudo se volta sempre para a totalidade, para aquele espaço onde somos UNIDADE. E é preciso lembrar e relembrar, afinal de contas, aprendemos agir justamente contrariando essa ideia! Adorei vc por aqui comigo! <3

    Deixe um comentário