Cadastre-se para receber meu e-book!

Categoria

VOCÊ SE IDENTIFICA COM O SEU EGO OU COM A SUA ESSÊNCIA?

24 de fevereiro de 2016
554237_641588482523047_376345371_n

Você sabe quem é esse danadinho do seu  “falso eu” que é também conhecido por ego? Sim, ele é um conjunto de pensamentos, memórias, crenças que juntos constroem um falso senso de identidade. Todas aquelas classificações como: “sou isso”, “tenho aquilo”, “tenho tal posição” é o resultado dessa construção.

Se a gente se identifica com essas estruturas, a gente vai ter dificuldade de ser livre, de ser o que a gente é na essência. Porque quando deixamos o ego aflorar tiramos o foco da gente e começamos a fazer buscas de fora para dentro. Por isso é muito comum a gente buscar aprovação e reconhecimento das pessoas, buscar amor, buscar em situações externas um preenchimento de um vazio. É claro que somos humanos e sentimos necessidade de sermos amados, mas o interessante aqui é ter equilíbrio nessa dosagem. Quando essa necessidade vira dependência, você já se desconectou da sua essência e essa dependência é um indício de um vazio emocional. Conheci um músico que não gostava de cantar, mas o fato dele estar no palco e de se sentir admirado e sendo o centro das atenções supriam essa falta de autoadmiração e de autoatenção.  Tem exemplos de pessoas que fazem um jogo de manipulação com outras pessoas, para que essas estejam sempre dependentes delas, porque ilusoriamente, elas se sentem amadas. E na maioria das vezes os “manipuladores” não tem sentimento genuíno pelas suas “vítimas”, este jogo acontece simplesmente  por uma necessidade de suprir o ego. Dessas formas, as pessoas tendem a estar cada vez mais distantes delas mesmas e, um reflexo desse comportamento é o enfraquecimento emocional, pois elas passam a depender sempre de algo que elas não podem controlar.

Um grande recurso é voltarmos para nós mesmos e nos fortalecer dando foco à nossa verdade, honrando as nossas escolhas e a nossa essência. Somente assim a gente é capaz de se sentir suprido e amado, por nós mesmos. Aquela história de que tudo que precisamos está dentro da gente, tem sido a maior verdade de todos os tempos.

Somente quando eu me preencho eu sou capaz de não depender do amor, nem da companhia, nem da aprovação e reconhecimento de ninguém. E então, as minhas escolhas partem de um lugar genuíno e puro, que é a partir do meu coração. Ele sim sabe o que é melhor prá mim.

“Quem alimenta a alma, mata o ego de fome.”

Se você gostou do meu post e deseja receber minha newsletter direto no seu email, se inscreva no meu site

Você também pode gostar de

Sem Comentários

Deixe um comentário